6 de janeiro de 2017

[Resenha #54] O triângulo de 4 lados

Titulo: O triângulo de 4 Lados
Autoras: Fernanda Medeiros e Adelina Barbosa
Editora: D' Plácido
Páginas: 320

Sinopse: Unhas mal pintadas de preto e camisas de bandas. Ela ama O Diário de Bridget Jones, chocolate, e a banda Misfits. Odeia trovões, lágrimas, e ser chamada de criança. Sara Alcântara tem 17 anos e, como qualquer garota de sua idade, tem um relacionamento de amor e ódio com a mãe, com seus estudos, e com a própria vida. Ama suas amigas, que são seu suporte, e sua base. Tira boas notas na escola, por obrigação, mas deseja ser artista, porque pintar é sua verdadeira vocação.
Até aquela paixão adolescente, platônica, ela possui. Ele tem nome, sobrenome, e grau de parentesco. Rodrigo Guano é seu primo, e sonho de consumo de toda a população feminina da pequena cidade de Santa Fé, onde moram. Tudo muda quando ele a beija pela primeira vez. Então o mundo pode acabar, regimes podem cair, terremotos podem engolir a terra em rachaduras intermináveis, e Sara ainda estaria feliz. Ou assim ela pensa ser, até que viaja para Paris, para passar as férias. Quando volta, tudo está diferente, inclusive ela. Sara se vê inserida num triângulo amoroso... Ou seria um quadrado?"

Olá, meus queridos leitores. Todo bem com vocês? Espero que sim. Hoje vim fazer resenha de um livro que sempre fui alucina com a capa,mas ele ficou quase um ano empacado na minha estante.


Em o Triângulo de quatro lados, vamos conhecer a estória de Sara uma adolescente de dezessete anos que vive no interior de Minas Gerais na cidade de Santa Fé. Desde nova Sara nutre uma paixão platônica pelo seu primo mais velho Rodrigo. Rodrigo é um cara super atraente  que qualquer mulher em sua sã consciência o desejaria, é apaixonado por Rock, e toca em uma banda. Sara sempre achou que Rodrigo não dava a mínima para ela pelo fato de ser bem mais nova do que ele, mas as coisas não eram bem do jeito que ela pensava. Um dia Rodrigo acaba a beijando, e ela descobre que ele também tem certo interesse por ela, mas nunca afirmou com todas as palavras quais interesses e sentimento tinha pela prima digamos que ele deixava rolar. Também conhecemos Brent o meio irmão de Rodrigo, um cara muito centrado  é residente em um hospital um cara muito bacana de se conviver. Brent toda vida foi apaixonado por Sara, mas ele sempre soube que ela era louca, e alucinada no irmão. Até então Sara é disputada pelos irmãos. Como se isso não bastasse aparece Matheus, o novo vocalista da banda dos meninos um cara divertido super sexy que toda mulher também o desejaria. Rodrigo e Sara se envolvem cada vez mais, então Sara descobre que passou na prova para fazer um curso de artes em Paris. Então ela segue para Paris, e quando retorna nada está como ela havia deixado.

  “-É porque, pelo que estou vendo, você não vai crescer mais que isso. Então vai ser minha priminha para sempre. [...]”.


 Bom, eu tenho esse livro desde a bienal de Minas, eu tentei ler ele duas vezes, mas a leitura não fluía então eu percebi que não estava no momento certo para ler. Depois de quase um ano peguei para ler e me senti muito conectada com a e leitura, e fluiu de uma maneira mágica.Quando percebi já estava na última  página, e me questionando por que eu não tinha lido ele antes.
“- Você está namorando?-Eu não- respondi, e senti  minha voz mais aguda que o normal. Pigarreei e ele riu. -Eu tenho vergonha dessas coisas, me poupe dessas perguntas.” 
Sara foi uma personagem que me agradou muito, ela é muito madura para idade ela tinha atitudes que a faziam uma personagem forte e determinada, ela não abaixa a cabeça fácil. Rodrigo é um daqueles personagens que vai fazer você ter um frio na barriga, gostei muito dele, mas as vezes suas atitude me incomodavam. Brent é um amor já me senti conectada com ele desde sempre e a paciência e tolerância dele é de outro muito, ele é super compreensivo quando Rodrigo fica com a Sara e não desconta nada no irmão, mesmo sendo apaixonada por ela. Matheus é um amor também faz o tipo conselheiro que sempre pensando em tudo que está ao seu redor, me identifiquei muito com ele, Matheus não era só um personagem bonito, ele era vivido, inteligente e uma ótima companhia.

 Talvez esse cara possa ser tão afim de você quanto você dele. Só que você não sabe ainda.”
 Os personagens secundários dessa estória são maravilhosos, como por exemplo o irmão da Sara achei ele mega divertido e a maneira como eles se tratam ela o chama de  Urso  e ele a chama de  Polar.  As amigas da Sara são ótimas sempre dando os melhores conselhos. Personagem que eu achei que deveriam aparecer mais ate para dar uns conselhos são os pais de Sara, a aparição deles é bem pouca.
-Qual é? Quer que eu torça para você? Sério ?-Eu ri e meneei a cabeça, dando uma última mordida na maçã. -Rodrigo, eu não estou com você. Nem com o Matheus. Nem com a Sara  estou no team Brent.”

Amei a estória de passar em Minas Gerais no meu estado lindo, que também e o estado de uma das autoras. A ambientação do livro é maravilhosa. A escrita das autoras flui de uma maneira inexplicável. Apesar de que no começo achei que não ia fluir de novo pelo excesso de alguns detalhes, mas foi só no inicio mesmo. Tenho que parabenizar a as autoras, pois elas têm a leveza nas palavras e os personagens são bem próximos a nossa realidade, e isso cativa muito o leitor.

 Pela primeira vez na vida, leio um livro onde a garota está sendo disputada e não faço a mínima de com quem ela irá ficar. Sim, as autoras vão mexer com a nossa cabeça e vai passar varias possibilidades eu não sei mais para quem torcer, e o livro termina como um soco no estomago, queria correr e comprar o segundo livro para saber como ficaram. Essa estória não é um triângulo amoroso e sim um quadrado (rsrs). Sei que muito dos meus leitores não gostam de triângulos, para ser sincera nem eu, mas esse me surpreendeu. Gente é sério quando você acha que ela vai ficar com alguém acontece muitas coisas, e você sempre vai está ali na torcida. Quem tiver a oportunidade de ler, leia. O livro é maravilhoso. A diagramação desse livro está maravilhosa, toda trabalhada nos mínimos detalhes, única coisa negativa é que as páginas são brancas, mas nada que impeça de  fazer a leitura.  Necessito urgente da continuação.



1 de janeiro de 2017

[Resenha #53] Místicos- Alma Perdida

Titulo: Místicos-Alma Perdida
Autora: Ellen Savvy
Publicação independente
Páginas: 413

Sinopse:O que você faria se descobrisse que está rodeada por seres místicos e que eles não são exatamente como você sempre acreditou?
Elena, uma cirurgiã oncologista, está sendo atormentada por pesadelos sem explicação. Ela conhece Seth, um médico recém contratado que passa a ajudá-la a enfrentar essa fase difícil e inexplicável; e Evan, uma celebridade engajada em ações sociais. 
O que Elena não sabe é que ambos são seres místicos que surgem para protegê-la contra os perigos do caminho obscuro de Bruxas e Demônios e ela vai precisar decidir para qual deles entregará seu coração.
Com um cenário cheio de mistérios, os bons nem sempre serão bons, os maus nem sempre serão maus e nada é exatamente como parece ser. 
Místicos - Alma Perdida, é uma história de amor e grandes batalhas, onde diversos seres místicos estão envolvidos para possuir ou salvar Elena. 


Olá, meus queridos leitores. Tudo bem com vocês? Espero que sim. Antes de começar gostaria de desejar a todos um feliz ano novo, que esse ano nos traga paz, saúde, esperança, amor e tudo de bom que merecemos. Nessa primeira resenha do ano, tenho que deixar claro que finalizei essa resenha nos quarenta e cinco do segundo tempo para o final de 2016. Vamos conferir?


“Se eu tivesse um coração, ele estaria partido ao ver tanta dor, mas eu não tinha um coração, eu era uma divindade, um Deus, Não tinha Alma, não tinha coração, não tinha Espírito Ainda assim, da minha própria forma, eu sentia. Eu tinha sentimentos.”

 Nos livros somos apresentados a Elena, uma oncologista muito conceituada no seu ramo profissional, mas ultimamente Elena está tendo pesadelos, e isso está atrapalhando seu desempenho no hospital. Com isso sua amiga, Miranda que é diretora do hospital a proíbe de clinar por um tempo. No começo Elena fica processa de raiva  e não compreende a atitude da amiga. Mas ela sabia que Miranda estava no seu direito de preservar tanto os pacientes quanto o bem estar da própria amiga que já foi pega se automedicando. Elena tinha uma grande amiga na qual nutria um amor de mãe, já que Elena era órfã e cresceu em um orfanato. Essa amiga de Elena também tinha um carinho enorme por ela, e por isso deixou em seu testamento que Elena iria tomar conta de sua  herança, e iria fazer da herança dela  bolsas de estudos para jovem, que assim como Elena queria ser alguém na vida. Quando era mais nova alguém custeou os estudos de Elena dando a ela todo suporte para se tornar a profissional que ela é hoje. Em um dia comum Elena se depara com Seth o novo médico responsável pelo pronto de socorro do hospital, não tinha como não se sentir atraída por ele, já que ele realmente tinha uma fisionomia admirável. Acabaram se conhecendo melhor e virando amigos. Um dia Elena foi até a ala infantil onde tinha um garotinho muito especial para ela. Matt era um garotinho que vinha do mesmo lar de adoção que Elena vivia, ele tinha leucemia e seu tempo era pouco. Quando ela chega para brincar percebe um homem sentado de costas para ela brincando com Matt, quando ele se vira para se apresentar ela assusta, pois ele e ninguém mais ninguém menos que Evan Mors, líder de uma banda muito famosa. Com o tempo Evan conhece melhor Elena de uma maneira diferente, ele tenta descobri sobre ela através de sua alma, já que ele é um Deus, mas de nada adianta, pois ele só consegue ter sensações nada explicáveis. Já Seth é um Warlock, eles são conhecidos por serem maus, mas Seth é diferente ele é o protetor de Elena. O que Elena não sabe é que está cercada por seres místicos. E sem perceber ela está ligada a Seth e a Evan de uma maneira que ninguém consegue explicar.
Uma estória cheia de: Magia, bruxas, demônios, Deuses e seres místicos.
 Para qual deles ela entregará seu coração?

“Nunca tinha me alimentado da essência  de qualquer ser humano antes”

 Quando recebi esse livro, não imaginava a grandeza que ia encontrar, pois a capa não tinha me chamado atenção, mas depois de pude perceber que a capa tem todo sentido. Não sei há quanto tempo não me sentia ligada a uma estória assim de primeira, pois sempre temos aquela parte de adaptação com os livros onde ainda estamos conhecendo os personagens, e com esse livro não foi assim foi como seu eu já conhecesse todos os personagens, a estória te puxa para dentro dela e você não consegue sair. Confesso que li a estória sua devagar, pois não queria que acabasse.

“ Fiquei apreciando sua beleza por vários minutos, ainda frustrado por não  ouvir seus pensamentos, ou sentir seus sentimentos”

 Os personagens são maravilhosos. Todos bem construídos. Elena é forte e sempre tenta ser compreensiva com tudo que acontece ao seu redor, é um personagem fácil de identificar. Seth é um personagem de coração grande, que se você precisar ele estará em qualquer lugar, ele tem lá seus momentos mais é um personagem incrível. Evan é uma pessoa maravilhosa sempre se procurando com o próximo, e participando e promovendo ações solidarias isso me encantou. Assim como Seth ele é um personagem de coração grande. Os personagens secundários aqui tem grande importância ao longo do enredo, pois eles trazem uma essência que o livro precisa em algumas cenas.

“ Eu podia seguir qualquer Alma em minha forma divina, mas existiam barreiras cuja ética não me permitia quebrá-las.”

É uma estória linda de poli amor, não é o primeiro livro que leio com essa temática o primeiro foi Oposição. Muitas pessoas não compreendem esse tipo de amor, mas em todos os livros que já li dessa temática é um tanto real. No caso de Elena uma coisa a prende a Seth e a outra a prende a Evan.Confesso que não sei para quem torcer, pois me apaixonei pelos dois personagens  acho que o poli amor da estória me contagiou .  A autora em momento algum deixa pista de com quem ela vai ficar.

 “-Não.Eu prefiro ser roqueiro do que ser ator.-Respondi com a maior sinceridade que tinha para dar a ela.-Atuando eu finjo ser alguém, cantando eu expresso o que sou.” 

 A escrita da Ellen é maravilhosa. Uma escrita detalhada, mas não aquele detalhado que deixa a leitura arrastada, e sim aquele detalhado que é essencial para estória. A ideia central da estória é maravilhosa eu me senti uma personagem, e tive vontade de ser mística. Uma escrita viciante.