22 de fevereiro de 2017

[Resenha #63] The Kiss of Deception

Titulo: The Kiss Of Deception
Autora: Mary E. Pearson
Editora: DarkSide Books
Páginas: 406
Sinopse:Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro?
Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor.
O romance de Mary E. Pearson evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para a história de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio é capaz de mudar a nossa concepção entre o bem e o mal e nos fazer repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor, e como ele pode nos enganar. Às vezes, nossas mais belas lembranças são histórias distorcidas pelo tempo.


Olá, aqui é a Tassia do Epifania nos Livros e hoje vamos falar um pouco sobre The Kiss of Deception, o livro com todos os elementos possíveis para o verdadeiro sucesso. E eu vou tentar ser o mais imparcial possível com esse livro, prometo!

“Aquele era um dia que mil sonhos morreriam e um único nasceria”.
Já de inicio somos apresentados a Lia que nos conta aos poucos onde ela está e o que estão fazendo a ela. Nossa princesa é a primeira filha do rei de Morrighan e tem um valor inestimável para muitos reinos e pessoas com fé. Por acaso, ela foi prometida ao reino vizinho, Dalbreck, com uma proposta de casamento para tentarem um acordo de paz por anos de guerra. Porém, Lia tem sonhos próprios e não quer compartilhar desse acordo de paz com seu reino, e foge no dia do seu casamento com a ajuda de sua criada pessoal Pauline. O rei de Morrighan – seu pai – manda os melhores para rastrear Lia e traze-la de volta para o casamento, mas, Lia cresceu com seus irmãos mais velhos e talvez tenha aprendido muitas coisas além de travessuras, sendo uma delas a de despistar e criar pistas falsas.
"Depois que minhas atividades foram restringidas, desenvolvi uma tendência a sair sorrateiramente, como fiz hoje. Não é uma habilidade que seria valorizada pelos meus pais, embora eu me orgulhasse dela."
Lia e Pauline vão a um vilarejo perto de Morrighan, chamado Terravin e lá Lia começa a experimentar uma liberdade que sempre desejo e nunca foi lhe permitido ter. Elas acabam morando em Taberna com uma dona que, para mim, mais pareceu uma mãe para as duas e ambas começam a trabalhar e se esforçar para iniciar uma nova vida. Mas tudo muda quando dois sujeitos chegam ao local e todo o tipo de coisa começa a acontecer. Sabemos que um deles é o assassino e o outro é o príncipe, mas... Como as coisas ficarão a partir do momento em que veem e realmente conhecem Lia?
"Durante minha vida toda sonhei com alguém me amando pelo que eu era. Por quem eu era. Não por ser a filha de um rei. Não por ser a Primeira Filha. Apenas por mim. E, com certeza, não porque um pedaço de papel ordenava isso. "
Nesse Livro – maravilhoso – da Darkside, temos uma trama bem resolvida, com os nós certos atados nesse volume. Praticamente todo o livro é narrado por Lia e temos alguns poucos capítulos perdidos narrados por “assassino” e por “príncipe” e sim, não sabemos quem é quem. Mary não nos deu nomes, apenas a adivinhação de acordo com as atitudes dos dois personagens e escolhas.
Eu acredito veemente que Mary E. Pearson, autora da trilogia de as Crônicas de amor e ódio, conseguiu firmar seus personagens e estruturar eles. Não a vi em momento algum fugir do seu enredo ou se perder em questão de personalidade. Cada qual foi único e fiel ao que ela nos apresentou até o final. Lia é uma princesa forte, determinada e cheia de opiniões próprias, pronta pra salvar quem ela ama e algumas vezes age simplesmente por força dos seus sentimentos, dando a ela uma intensidade pouco vista em personagens femininas principais na maioria dos livros. A principio eu não posso falar dos nossos dois homens maravilhosos pois eu daria um baita de um spoiler mas, o que posso comentar deles é que temos dois homens fieis a sua origem e que se surpreendem ao conhecer nossa princesa.
O motivo que dou para ler esse livro – e os outros que seguem e contam o restante da história – é que não temos aqui um conto de fadas. Nossa personagem não é uma princesa ignorante, ela luta contra tudo e todos para ter o que deseja. Temos cultura – e não a nossa. Uma completamente diferente onde as primeiras filhas são tidas como uma pessoa especial. As pessoas acreditam que elas tenham o “dom”. Sussurros e verdades que só elas sabem um “dom” que caminha junto a elas por toda a vida e por isso é que são tão especiais e como Lia às vezes dadas como um sacrifício de guerra. Todo o ritual que Lia passa para o seu casamento, presente nos primeiros capítulos do livro, é rica em detalhes e muito importante para todos os acontecimentos futuros. E também, para quem não sabe, The Kiss of Deception é uma distopia mais leve, mas, visíveis todos os seus elementos para se tornar distopia (eu simplesmente amo distopias).

Quanto à edição... Será que precisa de comentários? É impossível falar de qualidade e não citar a Darkside. Com suas edições de colecionador, capa dura e cheia de mimos pra nós amantes e colecionadores de livros, têm passagens dos Testemunhos de Gaudriel (muito importante, aliás), mapas e tudo que eu poderia desejar. As folhas são mais ásperas e achei ótimo para a virada de página quando necessário. A capa parece veludo de tão macia e a ilustração representa tão bem a história. São 409 folhas de pura qualidade e luxo. Gente, eu amo demais a editora e suas edições, particularmente não curto terror, mas compro só pra cheirar e namorar essas edições que só podem ser representadas por uma palavra: PERFEIÇÃO.

Já deu de notar o quanto amei a leitura não é? Fiquei tão envolvida que li em 3 tardes. A princípio era para ser uma leitura conjunta, mas... Eu não aguentei e simplesmente devorei o livro e arranjei tempo para ler onde não existia. O considero um dos meus favoritos de 2016 e de certeza será minha releitura quando a Dark lançar o terceiro agora no primeiro semestre de 2017. Uma forte recomendação para os amantes de leitura.
Fico por aqui. Boa leitura à todos :*


19 de fevereiro de 2017

TAG|| CRUSH LITERÁRIO




Hoje vou responder a uma TAG super legal,  que li no blog Minhas escrituras. Fiquei desnorteada com as respostas, mas bateu aquela leve empolgação de também querer responder (escolhi algumas perguntas das que achei interessante). Espero que vocês gostem.


1) "É oficial: fui 100% ignorado pelo crush. Podem me dar meu certificado de trouxa." - Sua maior decepção literária.

Quem me conhece sabe que sempre fui apaixonada por vampiros. Quando adolescente eu cismava em ter pesadelos com eles (pasmem). Quem nunca leu Crepúsculo e se apaixonou por Edward? Eu não. A decepção foi maior ao vê que esse era o único vampiro na face da terra que brilhava. ISSO ME QUEBROU. Acabou com todas as minhas expectativas! Ainda mais quando assisti ao filme.



2) "Foto do crush como wallpaper do celular: Quem nunca?!" - Livro que tem o modelo mais bonito na capa.

Essa pergunta foi uma das mais difíceis de se responder. Mas com certeza a capa do livro Um homem de sorte tem um modelo que chama a atenção. Principalmente por estar de perfil.




3) "Tava indo tão bem com o crush, mas aí ele fez um comentário machista. Tadinho." - Livro com um personagem babaca.

Tudo ia maravilhosamente bem, até que Hardin resolve ser babaca, um completo babaca com a Tess. Quem leu After, saberá do que estou falando. Esse é um livro com o qual temos uma relação de amor e ódio do inicio até o fim.




4) "Olha onde cheguei, brigando por causa de crush" - Livro ou autor que alguns não gostam e você defende passionalmente.

Li algumas resenhas bem maldosas a respeito do livro. Certo, respeito quem não curte o gênero New Adult, mas a literatura permite ampliar nossos horizontes. Por isso, eu defendo o Travis Madoxx até o final de Belo desastre.




5) "A sua noite já está ruim, dai tudo que você precisa saber é que o seu crush vai transar hoje... turma não tem noção mesmo, não preciso saber disso" - Livro com ótimas descrições dos acontecimentos.

A autora nacional Babi A. Sette traz delicadeza e fugacidade em sua escrita, principalmente no quesito detalhes. Entre o amor e o silêncio foi uma de suas obras que me marcou. Impossível não se apaixonar se apegar aos personagens.


Foi divertido de responder algumas perguntas da TAG. Quando li algumas, vi que não saberia responder. Por isso escolhi as que eram mais relevantes em minha opinião. Espero que tenham gostado!