6 de março de 2017

[ Resenha #65] Uma chance para recomeçar

Titulo: Uma Chance para Recomeçar
Autora: Diana Scarpine
Editora: Pandorga
Páginas: 432
Sinopse:Carina é uma workaholic rica e bem-sucedida cuja vida se resume ao trabalho. Afogada em estresse, ela não se importa com a solidão que habita seu coração, pois o amor nunca foi uma das suas prioridades, até que algo inusitado acontece. Repentinamente, ela se vê privada do trabalho e deseja aplacar a solidão que a consome, principalmente quando conhece Aurélio, que a trata de uma forma diferente da qual ela está acostumada. Consumido pela tragédia que vitimou sua família e deixou-lhe sequelas físicas e emocionais, Aurélio não quer nada além de se afundar cada vez mais na dor e na culpa que sente. Suas certezas começam a ficar abaladas à medida que Carina se aproxima cada vez mais dele. Quantos obstáculos precisam ser vencidos para recomeçar? O amor é capaz de vencer as amarras do passado e o preconceito? 





Olá, meus queridos leitores. Bom hoje vim fazer resenha de um livro que chegou até mim pela autora, quando ela me enviou um e-mail falando sobre o livro dela, e então fiquei super interessada pela premissa. Vamos descobri o que eu achei de Uma chance para recomeçar?

Carina é uma mulher viciada em trabalho, sempre o coloca na frente de tudo em sua vida. Ela controla a rede de supermercados do pai, e com isso sempre está estressada e cheia de coisas para fazer. Eis então que um dia ela acorda com o seu rosto paralisado e fica sem saber o que fazer  ela se questiona o por que isso está acontecendo com ela . Carina tenta tomar café, mas acaba fazendo uma sujeira já que uma parte do seu rosto estava paralisada e era bem difícil mastigar. Com medo de nunca mais ser como era antes Carina recorre a fisioterapia. Um dia ela estava saindo da Fisioterapia caiu no colo de um homem no qual ela mal olhou apenas pediu desculpas e saiu.

Em um dia na clinica Carina acaba recebendo um conselho para fazer massagens com um massoterapeuta, e a senhora a indica Aurélio, e fala que ele não tem muitos clientes, mas que é um ótimo profissional e ela iria adorar. Então Carina marca uma sessão com ele e é ai que tudo começa. Aurélio é um homem que tem deficiências físicas e psicológicas ele perdeu sua família em um grave acidente de carro que o deixou cego e com várias marcas pelo corpo. Isso o faz um homem muito reservado e de poucas palavras. Ele tem certo receio de se aproximar das pessoas por sua aparência.  Depois de algumas sessões eles começam uma bela amizade.

Dessa amizade começa a surgir algo a mais, e isso os deixam relutantes em muitos sentidos. Aurélio não se abre de jeito nenhum ele se acha culpado por tudo que aconteceu e não se sente no direito de recomeçar sua vida. Já Carina por outro lado acha que ele tem sim o direito de recomeçar a vida e tentar ser feliz de novo, pois todo mundo tem uma chance para recomeçar.



 Tenho que confessar que o começo do livro é algo bem lento, e isso deixou minha leitura arrastada em certo momento, pois de fato não acontecia nada era basicamente Carina levando Aurélio para casa. Mas o enredo foi crescendo e crescendo e então a leitura começou a fluir, e  quando percebi já estava no fim do livro. Foi meu primeiro contato com a escrita da autora e a escrita dela é muito boa, às vezes ela peca em dar detalhes de mais e com a repetição de palavras. A palavra mais usada nesse livro que me irritou foi  “Desculpe-me” essa palavra se repete várias e várias vezes ao longo da narrativa, os personagens pedem desculpa por tudo que eles faze me irritou.


Carina é uma personagem cativante, muito esforçada mesmo vinda de um berço de ouro. Ela é totalmente o oposto da irmã que é louca por roupas e estética Carina faz mais o estilo simples e inteligente. Aurélio por várias vezes eu tive vontade de da uns belos tapas nele, pois tinha algumas  partes que eu realmente não o compreendia ele demonstrava uma coisa e fazia outra totalmente diferente. Ele chega ser até grosso com a Carina e isso me deixou bem distante dele por alguns capítulos. Ele sente na pele o que é o preconceito, mas ele mesmo se recrimina então fica meio difícil tentar ajuda-lo.


  Eu gostei muito da forma que a autora sobe lidar com o preconceito. O pai da Carina é um preconceituoso nato de marca maior que me irritou muito, tive vontade de estapear a cara dele sobre algumas coisas que ele fala coma filha em relação ao Aurélio.  Nesse livro vemos duas pessoas totalmente diferentes uma da outra, mas que de certo modo se completam. A estória deles e linda e nos trás um ensinamento muito grande mesmo de como devemos nos comportar e que o amor vai além da beleza. Aurélio não consegue de maneira nenhuma acreditar que a Carina gosta dele, pois ele se considera um mostro e isso fez com que  a leitura se tornasse um pouco arrastada em certos momentos que ele ficava meio que se lamentando.



 A narrativa do livro é feita em primeira pessoa tendo dois pontos de vista, e como vocês sabem sou apaixonada com esse tipo de narrativa, pois me sinto mais ligada aos personagens. A diagramação está impecável digna de babar, a fonte padrão e a capa é linda.  O livro é bem grande e assim que você pega o ritmo dele você termina a leitura em um instante.  De modo geral gostei bastante da leitura, pois gosto quando o autor trás personagens comuns do nosso dia a dia para dentro dos seus livros. Também temos um personagem totalmente fora do estereótipo que estamos acostumados então isso me agradou muito desde trabalhar todos os traumas do Aurélio até a lição que o livro nos trás. Indico muito esse livro para quem quer algo fora do comum e que vai te colocar para pensar em muitas coisas.