21 de fevereiro de 2018

[ #Resenha #96] O Casal da casa ao lado

Titulo:  O casal que mora ao lado
Editora: Record
Autora: Shari Lapena
Páginas: 294
Sinopse:É o aniversário de Graham, e sua esposa, Cynthia, convida os vizinhos, Anne e Marco Conti, para um jantar. Marco acha que isso será bom para a esposa, afinal, ela quase nunca sai de casa desde o nascimento de Cora e da depressão pós-parto. Porém, Cynthia pediu que não levassem a filha. Ela simplesmente não suporta crianças chorando.Marco garante que a bebê vai ficar bem dormindo em seu berço. Afinal, eles moram na casa ao lado. Podem levar a babá eletrônica e se revezar para dar uma olhada na filha. Tudo vai dar certo. Porém, ao voltarem para a casa, a porta da frente está aberta e Cora desapareceu. Logo o rapto da filha faz Anne e Marco se envolverem em uma teia de mentiras, que traz à tona segredos aterradores.


Olá, meus queridos leitores ♥
Como podem perceber o blog está de cara nova e eu estou literalmente apaixonada. Li esse livro de tanto vê algumas pessoas falando sobre ele. Minhas expectativas estavam altíssimas e infelizmente não foram superadas, vamos saber um pouco o por que ?

Um bebê desaparecido e um tormento começa.

 Anne e Marcus tem uma linda bebê, Cora.  Logo depois de ser mãe Anne foi diagnosticada com depressão pós parto e isso fez com que ela virasse uma pessoa até um pouco mais reservada, eis que sua vizinha  e também amiga  convida Marcus e Anne para comemorar o aniversario de seu amigo, mas tinha uma condição  Não poderiam levar a filha.

Então contratam uma babá que já tem costume de olhar a Cora, mas em cima da hora ela desmarca e diz que infelizmente não poderá ir. Marcus tenta a todo custo convencer a esposa de que podem deixar a criança sozinha e levarem a babá eletrônica, já que a casa deles e grudada com a da vizinha. Anne fica muito relutante no inicio, que tipo de pais vão se divertir e deixa uma bebê sozinha? Depois de muito discutirem acabaram entrando em um acordo a cada meia hora um vai lá vê como ela está.

A verdade está por ai. Sempre está. Basta encontra-la.
A noite estava tranquila, mantinham  sempre o controle de meia em meia hora cada um ia lá da uma olhada na pequena Cora. Quando a noite foi se afundando Anne resolve que já passou da hora de ir embora, pois percebeu que  além dela ter bebido um pouco demais seu marido e sua vizinha estavam flertando. Quando chegam na varanda de casa percebem que a porta esta entreaberta e Anne jura que havia fechado eis que o pânico toma conta deles quando percebem que Cora não esta em seu berço. Ela havia sido raptada e não havia nenhum suspeito. Quando chamam a policia obviamente já imaginam que eles seriam os primeiros suspeitos, mas eles tentam provar com unhas e dentes que não são culpados pelo desaparecimento da filha, mas até onde eles estão falando a verdade? Será mesmo que eles são tão inocentes quanto parecem?


 Quem leu minhas primeiras impressões referentes a esse livro viu que até certa parte o livro estava muito bom, mas é aquele ditado, né? "Tudo que é bom dura pouco" !
 O livro estava em um ritmo maravilhoso, mesmo já sacando em meados do  sexto capítulo a trama central ainda sim o livro estava me agarrando. Como minha intuição de leitora não falha eu realmente estava certa e achei que era ai que as coisas iam andar que  a autora ia trazer uma reviravolta que eu via todo mundo comentando,  mas a reviravolta para mim foi ainda mais previsível do que saber quem tinha sequestrado a Cora.Confesso que a única coisa que me surpreendeu nesse livro foi os três últimos parágrafos.

 O livro não tem só lado negativo  jamais! O personagem Marcus é muito bem trabalhado em suas características psicológicas, ele é um cara e tanto. Por mais que os sogros não goste dele, ele se mostrou um cara mais forte do que eu pensava. Anne tem uma estabilidade mental meio fragilizada e isso acaba nos confundido as vezes sobre sua real personalidade, mas quando o assunto é a filha vemos uma Anne amedrontada com medo do que está por vir. O detetive é um homem inteligente ao nivel máximo e se  eu pudesse escolher um personagem favorito do livro seria ele, pois ele faz uma ligação com coisas mínimas que no fim por mais que você desconfie de todas as hipóteses possíveis ele tenta te mostrar os fatos e te confundir ao mesmo tempo.

O desfecho do caso da Cora  não me agradou nem me convenceu muito, esperava mais, mais emoção, mais ação acho que realmente faltou uma pitada ali para deixar o livro maravilhoso. Temos  uma tensão presente no livro o tempo todo então isso faz com que até certo ponto a narrativa seja gostosa.

A narração do livro é feita em terceira pessoa por:  Marcus, Anne e o Detetive.  Então conseguimos ter uma narração ampla dos fatos e isso pode instigar mais ainda o leitor. Li em e-book então não posso opinar sobre a parte física, a parte digital está simples. Os capítulos são curtos e a leitura é bem fluida. Acho a capa desse livro bem sugestiva. Não posso falar muito sobre o livro por isso não vou me estender demais nessa resenha, pois como é um livro que contém mistérios qualquer coisa que eu falar pode ser considerado spoiler.  Alguém já leu?