22 de janeiro de 2019

(Resenha #124) Tensão


Titulo: Tensão
Autora: Gail Mchug
Editora: Arqueiro
Páginas 336
Sinopse: Após a morte da mãe, a vida de Emily Cooper vira de cabeça para baixo. Ela precisa de um novo começo, e Dillon Parker, seu namorado, a convence a se mudar para mais perto dele a fim de passarem mais tempo juntos.
Em Nova York, Emily arranja um emprego temporário como garçonete em um restaurante no centro de Manhattan. Ao sair para fazer uma entrega logo no primeiro dia de trabalho, ela esbarra em Gavin Blake, um empresário sexy e bem-sucedido. Assim que seus olhares se encontram, há uma tensão no ar, mas nenhum dos dois consegue entender ou explicar essa forte conexão. Atormentada, Emily tenta não pensar muito naquele desconhecido que mexeu tanto com ela.
Porém, ela descobre que Dillon e Gavin são amigos e que terá de conviver com ele muito mais do que poderia ter imaginado. Perdida em sentimentos confusos, Emily sente o desejo por Gavin crescer e se tornar mais ardente a cada vez que se encontram. Será que os dois vão resistir à tensão ou se entregar a essa paixão, apesar de todas as consequências?


Oi oi, meus queridos leitores, tudo bem com vocês? Hoje vim trazer resenha de um livro que eu ganhei a muito tempo da minha amiga Ivi do blog Meu amor pelos livros. Na época em que ela me deu eu estava louca para fazer  leitura desse livro, mas devido a rotina muito acelerada acabei deixando o livro para depois. Esses dias olhando para minha estante senti uma necessidade de fazer a leitura. Vamos saber o que eu achei de Tensão?


Emily acabou de perder a mãe para um câncer de mama. Com isso ela decide se mudar com a ajuda do namorado para Nova York, onde sua oportunidade  de vida será maior. De inicio seu namorado queria que ela fosse morar com ele, mas ela estava certa de que ainda não era o momento. Então decidiu que iria para Nova York, porém iria morar com sua amiga Olivia.  Mesmo diante de muita relutância por parte de Dillon  ela não mudou de idia.


Depois de se instalar, Emily consegue um emprego em uma lanchonete e é recebida de braços abertos por todos eles e de cara faz amizade com a Fallon. Um dia quando ela estava quase indo embora seu chefe lhe pergunta se ela pode fazer uma entrega pra ele, pois o entregador havia pedido demissão e o endereço da entrega era  no meio do caminho em que ela percorria para casa. Emily então aceita. Chegando em um prédio luxuoso ela da de cara com um homem extremamente lindo e tudo que ele tinha de lindo também tinha em educação. Ele faz questão de subir com ela até o andar no qual  faria entrega. Chegando ao andar  ela descobre que ele é quem havia pedido a comida e usou isso como desculpa para ficar um pouco mais com ela. E com isso ele acaba a convidado para jantar.

Ao chegar em casa Emily conta para Olivia sobre o tal bonitão e a amiga a incentiva a aceitar o convite de jantar com ele. Olivia sempre deixou claro sua insatisfação com o namorado da amiga, pois ele é machista, egoísta e ela tem certeza que esses serviços que ele diz ficar até tarde não passa tudo de uma furada. Mas o que ninguém sabe é que Emily se sente totalmente em divida com Dillon por tudo que ele fez por ela quando sua mãe estava doente e por ter ajudado ela a ir para Nova York.

No dia seguinte quando Emily está no serviço, quando o moreno lindo da noite anterior está sentado na mesa e para piorar a situação ele está em uma das que ela tem que atender. Sendo muito educada ela anotou seu pedido, mas Gavin não se deu por satisfeito queria saber quem era essa mulher que o fascinou. Emily então diz que seu nome é Molly e não pode aceitar o convite dele por que ela é comprometida.

 Um dia Dillon  convida Emilly para ir com ele em uma comemoração, pois lá vai esta os amigos. O que Emily não imagina era que o moreno lindo era ninguém mais ninguém menos que um dos grandes amigos do seu namorado. Gavin levou um susto quando percebeu que Molly na verdade era Emily a namorada do seu grande amigo. A atração entre eles era mutua, mas cada um tentava resistir da sua maneira, mas chega uma hora que resistir não é mais uma opção. Será que isso irá da certo?

BOM!

Foi meu primeiro contato com a escrita da autora e mesmo com algumas ressalvas quanto ao enredo que eu ire citar tenho que confessar que a autora tem uma escrita viciante. Você se sente sugado para dentro do enredo de uma maneira que você quer mais e mais. O que me deixou chateada com esse enredo foi que no inicio temos algo totalmente explorado nos mostrando vários aspectos das vidas dos personagens, só que com o passar das páginas isso vai sumindo e por diversas vezes o livro fica maçante e até mesmo monoto.

Emily é uma personagem que eu não posso dizer que amei, por que, por mais que ela se ache uma pessoa forte , por diversas vezes ela provou que é totalmente ao contrário. Sei que quando estamos nervosas falamos e temos atitudes que não controlamos, mas ela não aprende com os erros muito pelo contrario persiste neles e isso me incomodou demais ao longo da leitura. Confesso que só comecei a gostar dela nos capítulos finais.

Gavin para mim é um personagem amorzinho, ele tem lá seus defeitos, mas mesmo assim me ganhou muito mais que a Emily. Ao contrario dela ele é firme em suas palavras e suas atitudes e o tempo todo está ali tentando provar para ela algo que já está na sua cara. Ele teve sim algumas atitudes erradas, mas se você for parar para analisar o enredo ele basicamente foi obrigado a toma-las.

Os personagens secundários  que traz um brilho para trama, mas vou citar apenas dois: Olivia, melhor amiga de Emily  que ganhou meu coração muito mais do que a própria protagonista. Ela fala o que pensa e não ta nem ai para o que os outros vão pensar. Dillon, meu Deus ele está no ranking dos personagens que eu mais odiei na vida, imaginem um homem machista ao extremo mais é ao extremo mesmo, a Emily não pode fazer nada, já ele pode fazer tudo. Por diversas vezes tive vontade de entrar no livro e coloca-lo no lugar dele.

O relacionamento entre Emily e Dillon trás atona algo que é realidade de muitas pessoas o relacionamento abusivo e a autora trouxe isso em forma de aviso. Eu nunca torci tanto para uma personagem largar o namorado igual nesse livro. Um ponto no livro que não convenceu e que é um clichê que eu não gosto ( postei falando sobre isso lá no instagram ontem) é que Gavin e Emily foi aquele famoso  bateu o olho e já se apaixonou. Sei que tudo deles foi muito intenso, porém mesmo assim demorei muito tempo ao longo do enredo para digerir isso.

A narração do livro é toda feita em terceira pessoa visando o ponto de vista de ambos os personagens e por mais que eu não seja fã de narrativa em terceira pessoa, essa me ganhou por ter uma visão maior dos acontecimento. A diagramação é simples, porém bonita, as folhas são amareladas e a fonte em tamanho padrão. A capa é a coisa mais linda, pois tenho um fraco para capas com detalhes vermelhos.

Em suma é um livro bom, para quem quer se aventurar em uma escrita viciante.


12 comentários:

  1. Gente, se fosse comigo eu entregava a comida e saia correndo, não interessa se o cara era bonitão, já sofri assédio e tenho medo dessas coisas.
    Sorte dela que conheceu um cara bacana.
    O livro tem um romance gostoso, deu para notar... Só acho que a capa deveria ser modificada, ao ler a resenha não combina muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Na verdade o cara que ela se apaixona é esse do prédio. Ele não estava assediando ela e sim flertando com ela rsrsrs. Quem é horrível com a protagonista é o próprio personagem

      Excluir
  2. Olá!
    Eu li esse livro faz tempo e sinceramente não curti. Acho que na época eu fiquei horrorizada com a protagonista, por ela ser tão submissa a um idiota e aquele final... que m*** foi aquela? Eu nem consegui ler a sequência desse livro. Talvez eu releia para tentar entender com outros olhos, mas é pouco provável.
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  3. Olá, Bia.

    A narrativa prender o leitor é um grande ponto do livro, mas saber que os personagens, com exceção de Gavin, são tão "ruins" me deixa com um pé atrás, pois quando eu não gosto de um personagem a leitura acaba ficando cansativa e arrastada.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, mas ela aceitou jantar com um completo estranho? Que loucura rsrs
    Geralmente o personagem coadjuvante consegue ser mais legal que a protagonista. Sério. Ultimamente parece que em todos os livros que a gente lê segue um enredo com a mocinha que deveria ser considerada "forte" e determinada, fazendo a gente passar raiva com algumas atitudes infantis. Não faz muito meu gênero de leitura, mas é legal sabe que a escrita da autora é envolvente. Se tiver chance um dia eu lerei.

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto de amores à primeira vista e acredito neste tipo de coisa. Gostei da forma como o casal se conheceu, o fato de ele ser educado e charmoso e de não ter deixado a oportunidade passar, por ter buscado ter um envolvimento com ela.

    É muito complicado quando uma protagonista não consegue nos conquistar. Isso geralmente estraga o livro para mim e sempre prefiro mocinhas fortes nos livros. Todavia, tendo em vista que ela vivia um relacionamento abusivo, não irei formar uma opinião sobre ela precocemente. Somente quem passa por este tipo de situação sabe o quanto é difícil sair disso e acreditar outra vez em si mesma.

    Torço para que o casal consiga ser feliz. E para que a Olívia tenha a própria história. :)

    ResponderExcluir
  6. Oi Bia, tudo bem? Li sse livro quando foi lançado, ou seja, tem um bocado de anos hahaha mas concordo contigo, a escrita é absurdamente viciante porque a maneira como a autora coloca a relação dos personagens é incrível, vale a pena! Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu li esse livro tem tanto tempo que lembrava quase nada dessa história. No entanto, foi uma boa leitura de se fazer e gosto do personagem Gavin, mas lembro que tive dificuldades em sentir empatia pela protagonista.
    Hoje não é o tipo de leitura que realizaria novamente.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. Olá Bia, tudo bom?
    Esses romances instantâneos, a lá miojo, também me incomodam muito! rs Eu não entendo essa facilidade que esse povo tem em alguns livros de olhar e já ficar loucamente apaixonado, como se o que a pessoa realmente é não tivesse qualquer influência sobre isso ><"
    Por isso, e por essa protagonista que não evolui muito na trama e que irrita o leitor, eu passo a dica de hoje. No entanto, curti saber que a escrita é viciante e que a história tem um bom ritmo. Ótima resenha, como sempre ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá Bia!!!
    Quando vi a sinopse do livro fiquei: Esse livro me lembra um enredo que conheço...
    E enfim lembrei que o enredo que me lembra é de "Thoughtless", porém enquanto nesse que eu citei o personagem que namora a mocinha não é machista o que você trouxe vejo que vou querer entrar dentro do livro e matar gente.
    De certa forma adorei a história e eu já tinha lido algo sobre, total que quando olhei no meu Skoob o mesmo já está adicionado a minha lista de quero ler.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Não gosto muito de livros assim, o romance me atrai, mas a sinopse não me chamou muito a atenção.
    Uma pena a autora ter se perdido ao decorrer das páginas e ter tornado a história um pouco maçante, tinha de tudo para ser boa.
    Eu gosto bastante de narrativas em terceira pessoa, mas z irei deixa essa leitura para uma outra vez. Talvez procure alguma outra obra dessa autora já que a escrita é viciante.
    Abraços

    FLeituras

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Não gosto muito de livros que trazem essa questão de relacionamento abusivo, pois queira ou não sempre acabam romantizando um pouco mais do necessário. Os personagens protagonista me parecem que foram bem construídos, mas esse ponto me faz fugir dessa leitura.

    ResponderExcluir